Treze: Dr. Murray Sidman, Parte 2

Infelizmente, não foi possível estabelecer contato com a Professor Murray Sidman a tempo da presente postagem. Conforme mencionado anteriormente, o procedimento será o seguinte: caso o pesquisador responda, lançarei nova publicação com os resultados.

De todo modo, deixo aqui registrado: fori realizada uma tentativa de contato via e-mail, mas sem retorno até o momento da presente postagem.

Profissional número treze do Projeto concluído! Na próxima postagem um prólogo sobre o trabalho do próximo pesquisador será apresentado.

Post43foto1Trecho 1 – Passagem extraída do vídeo B.F. Skinner: A Fresh Appraisal (Davidson Films, Inc.), com grifos da autora.

Referência:

Vídeo  B.F. Skinner: A Fresh Appraisal (Davidson Films, Inc.). Disponível com legenda em português em https://www.youtube.com/watch?v=9XumLBjBCaQ


Leia mais sobre o Desafio Número 13:
Hobbies: um bem necessário
Treze: Dr. Murray Sidman, Parte 1


Leia mais sobre o Projeto a Fonte e a Ponte e a Análise do Comportamento:
a Apresentação
o Início dos Resultados
Por que eu deveria aprender sobre a ciência do comportamento?
as Profundezas do Método

 

Treze: Dr. Murray Sidman, Parte 1

E o décimo terceiro pesquisador estudado no Projeto é o Professor Doutor Murray Sidman. O site da ABAI o define como um analista do comportamento completo, que esteve presente no campo desde sua origem. O Professor Sidman nasceu em 1923, prestou serviço militar na Segunda Guerra Mundial e em 1950 obteve seu doutorado, tendo sido orientado em sua trajetória acadêmica pelos professores Fred S. Keller e W. N. Schoenfeld (site da SABA). Trabalhou parte de sua carreira em um ambiente interdisciplinar com a neuropsiquiatria. A atuação do professor Sidman abrange universidades norte-americanas como a Columbia University, a Harvard Medical School, a University of Nevada, a Northeastern University, a Johns Hopkins University, e também a Universidade de São Paulo, a Keio University de Tóquio e a University of Canterbury in Christchurch da Nova Zelândia. Assim, disseminou a ciência do comportamento internacionalmente (e por isso recebeu um prêmio da SABA em 1996), tendo inclusive influenciado gerações de analistas do comportamento no Brasil, seja através de suas aulas, artigos ou livros. Todorov (2010) relata que as visitas do professor Murray Sidman ao Brasil nas décadas de 80 e 90 promoveram o estudo sobre comportamento simbólico e equivalência de estímulos, temas até hoje estudados com maestria por pesquisadores na UFSCar.

2005SidmanFigura 1 – Murray Sidman (Fonte: site da ABAI)

O Professor Murray Sidman tem contribuído para a produção acadêmica na área de modo notável. Três livros seus são conhecidos no Brasil: o simpático livro de capa amarela Coerção e Suas Implicações (1989/2000), o livro sobre metodologia Táticas da Pesquisa Científica (1960/1976), e o livro Equivalence Relations and Behavior: A Research Story (1994).

coercaoesuasimplicacoes_sidmanFigura 2 – O livro Coerção e suas implicações (Fonte: site da Carlos Livraria)

O livro amarelo foi um dos primeiros livros acadêmicos que tive contato. Sei que ele é o livro de cabeceira de algumas pessoas. Não à toa – é um livro acolhedor e gentil: linguagem acessível, apresenta o (vasto) conteúdo em pequenas doses e convida o leitor a repensar sobre as práticas da nossa cultura. Com tranquilidade, é um livro que entra facilmente na categoria de publicações para ler e reler [um roteiro muito legal para ler esse livro foi desenvolvido por docentes da PUC-SP]. Coerção e suas implicações é um livro sobre controle aversivo, mas não só isso – é possível encontrar em suas linhas muito sobre a humanidade e o comportamento humano como um todo. Inclusive, uma das minhas passagens preferidas, cheia de lucidez,  é essa:

Post3foto4__Trecho 1 – Passagem extraída do livro de Sidman Coerção e suas Implicações (1989/2000).

Para colecionadores de relatos de tom bem pessoal de grandes estudiosos, vale a leitura de um artigo de Sidman publicado no JEAB em 2007. É Sidman falando sobre algumas consequências (pouco mencionadas) presentes no contexto do pesquisador. Mas acho que esse artigo tem um público especial. Se você é um estudante, pesquisador ou profissional precisando de uma motivação, ou procurando sentir novamente aquele entusiasmo inicial que se perdeu no caminho, recomendo sua leitura – o artigo pode servir como uma fagulha para que os seus esforços voltem a fazer sentido. O relato pessoal e inspirador do Professor Murray Sidman pode servir para te fazer lembrar de algumas consequências prazerosas do seu comportamento enquanto educador, pesquisador, profissional ou aprendiz.

Inicialmente, o autor comenta que na publicação de uma pesquisa não nos é permitido comunicar a emoção, a poesia e a euforia que são produtos da atividade de descoberta; contudo, esses elementos estão entre as mais poderosas consequências do nosso comportamento. Sobre isso, Sidman comenta:

Post2foto1Trecho 1 – Passagem extraída do artigo de Sidman The Analysis of Behavior: What’s in it for us? (2007), p.308, traduzida pela autora.

De fato, talvez uma das partes mais legais de fazer pesquisa é quando se começa a enxergar padrões e relações nos dados coletados. Momentos “ah-há!” costumam fazer valer todo o esforço. Assim, Sidman parece apontar a importância das consequências prazerosas produzidas pelo nosso comportamento enquanto estudantes ou pesquisadores. Contudo, sabe-se que as contingências envolvidas no fazer pesquisa são complexas – e nem sempre tão românticas. Quantas vezes já pensamos em desistir de fazer o que gostamos, por estarmos mais envolvidos com outras contingências (como a pressão, a burocracia, a reprovação, o rigor, as exigências e o esforço para desempenhar tal tarefa)? Talvez por isso seja importante lembrar também da emoção, da euforia e do entusiasmo que todo o processo também carrega consigo.

Em seguida, o artigo continua maravilhoso: Sidman relata como ele chegou ao ponto de ter essa visão poética da ciência do comportamento:

Post2foto2Trecho 2 – Passagem extraída do artigo de Sidman The Analysis of Behavior: What’s in it for us? (2007), p.310, traduzida pela autora.           

Felizmente, essa visão é muito comum na área: a profissão de analista do comportamento parece mobilizar pessoas interessadas em mudar o mundo para melhor – ou, pelo menos, melhorar a qualidade de vida das pessoas a seu alcance. Nas palavras de Sidman (2007), essa atuação é, em essência, a definição de cuidado. O autor enfatiza o quanto esse tipo de trabalho pode ser emocionalmente gratificante – por exemplo, ao fazer com que as pessoas desenvolvam hábitos saudáveis, ao curar transtornos ou ao promover a aprendizagem. Na mesma linha, um artigo da PayScale aponta a profissão de analista do comportamento como uma das atuações voltadas para quem procura melhorar o mundo, e cujos profissionais sentem que seu trabalho é significativo e relevante.

O artigo contém outros relatos da experiência pessoal desse grande pesquisador durante sua vida. Mas fecho o presente texto com uma última passagem: Sidman descreve parte de sua trajetória durante suas primeiras descobertas sobre a ciência do comportamento; com sensibilidade, o autor apresenta algumas de suas reflexões e preocupações sociais:

Post2foto3Trecho 3 – Passagem extraída do artigo de Sidman The Analysis of Behavior: What’s in it for us? (2007), p.310, traduzida pela autora.

É o lado ético de Sidman transpirando em mais um de seus textos. A variedade de temas que esse pesquisador já explorou é inspiradora,  e vai desde equivalência de estímulos até terrorismo enquanto questão social (Sidman, 2003). O que consegui reunir aqui é apenas uma pequena parcela das contribuições de Sidman. E o estudo desse pesquisador será concluído na próxima postagem.

Como você tem ajudado a mudar o mundo para melhor?

Referências:

Fellows of ABAI – Murray Sidman. Disponível em https://www.abainternational.org/constituents/bios/murraysidman.aspx

Fonte da Figura 2 – Site da Carlos Livraria. Disponível em http://www.carloslivraria.com.br/coerc-o-e-suas-implicacoes.html

PayScale (sem data). Best Jobs for Do-Gooders. Disponível em http://www.payscale.com/data-packages/best-jobs/do-gooders

SABA Award winners – Distinguished Service to Behavior Analysis: Murray Sidman. Disponível em http://saba.abainternational.org/awards/distinguished-service-to-behavior-analysis/murray-sidman/

SABA Award winners – Impact of Science on application: Murray Sidman. Disponível em http://saba.abainternational.org/awards/scientific-translation/murray-sidman/

SABA Award winners – International Dissemination of Behavior Analysis. Disponível em http://saba.abainternational.org/awards/International-Dissemination-of-Behavior-Analysis/?SATypeID=IDBA

Sidman, M. (2003). Introduction: Terrorism as Behavior. Behavior and Social Issues, 12, pp.83-89.

Sidman, M. (2007). The Analysis of Behavior: What’s in it for us? Journal of the Experimental  Analysis of Behavior, 2007, 87, pp.309-316, Number 2 (March).

Todorov, J. C.; Hanna, E. S. (2010). Análise do Comportamento no Brasil. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Vol. 26 n. especial, pp. 143-153.


Leia mais sobre o Desafio Número 13:
Hobbies: um bem necessário


Leia mais sobre o Projeto a Fonte e a Ponte e a Análise do Comportamento:
a Apresentação
o Início dos Resultados
Por que eu deveria aprender sobre a ciência do comportamento?
as Profundezas do Método