Dia Mundial de Segurança e Saúde no Trabalho

O dia 28 de abril é o Dia Mundial de Segurança e Saúde no Trabalho. Instituído pela OIT (Organização Internacional do Trabalho), o tema da campanha de 2016 é o Estresse em ambiente de trabalho (ILO, 2016). De acordo com a OIT, anualmente acontecem 2.31 milhões de mortes relacionadas a doenças e acidentes de trabalho, das quais ocorrem 1.95 milhão por doenças e 358 mil por acidentes de trabalho no mundo – ou seja, 6300 pessoas morrem por dia; o número de acidentes de trabalho não fatais é de 337 milhões, que resultam, no mínimo, em três dias de afastamento do trabalho; além disso, a cada ano, surgem 160 milhões de casos novos de doenças relacionadas ao trabalho (OIT, 2015, p.234).

Entre 2007 e 2013, dos 5 milhões de acidentes de trabalho ocorridos no Brasil, 45% acabaram em morte, invalidez permanente ou afastamento temporário do emprego (Konig, 2015). O Brasil é o quarto colocado mundial em número de acidentes fatais no trabalho; ainda, são gastos mais de R$14 bilhões/ano com acidentes de trabalho (Portal Brasil, 2013); China, Estados Unidos e Rússia, de acordo com um estudo de 2012 da OIT, ocupam as primeiras posições (Neeser, 2015). O setor de Serviços, seguido de Indústria, lidera o ranking de acidentes de trabalho no Brasil (UOL, 2014).

O infográfico abaixo ilustra alguns dos dados mencionados:

segmaior1(Infografia: Fernanda Oda)

Segurança Baseada no Comportamento (em inglês, Behavior-Based Safety, ou BBS) é uma abordagem sistemática que se utiliza de métodos da Análise Aplicada do Comportamento para promoção de comportamentos seguros em ambientes de trabalho. Esse é o tema explorado pela próxima pesquisadora do Projeto, que é considerada pioneira na área. Na próxima postagem serão apresentados os resultados da leitura sobre Segurança Comportamental no Trabalho, produtos do quinto desafio do Projeto.

Referências:

ILO – International Labour Organization (2016). World Day for Safety and Health at Work. Disponível em http://www.ilo.org/safework/events/safeday/lang–en/index.htm

Konig, M. (2015). Acidentes custaram R$ 70 bilhões em 7 anos. Reportagem disponível em http://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/especiais/acidentes-de-trabalho-no-brasil/perdas-humanas-em-cifras-bilionarias.jpp

Neeser, R (2015). Brazil Garment Industry – Health and Safety Issues Overview. Disponível em http://www.acc.com/legalresources/quickcounsel/health-and-safety-issues.cfm?makepdf=1

OIT – Organização Internacional do Trabalho (2015). OIT Notícias: Brasil, 2007 – 2014 / Organização Internacional do Trabalho. – Brasília: OIT, 2015. Disponível em http://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/—americas/—ro-lima/—ilo-brasilia/documents/publication/wcms_360793.pdf

Portal Brasil (2013). Ações marcam Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho. Disponível em http://www.brasil.gov.br/defesa-e-seguranca/2013/04/acoes-marcam-o-dia-mundial-da-seguranca-e-saude-no-trabalho

UOL (2014). Indústria e serviços lideram ranking de acidentes de trabalho. Disponível em http://tribunadoceara.uol.com.br/especiais/profissao-perigo/industria-e-servicos-lideram-ranking-de-acidentes-de-trabalho/


Leia mais sobre o Desafio Número 5:
Cinco: Dra. Beth Sulzer-Azaroff, Parte 1
Cinco: Dra. Beth Sulzer-Azaroff, Parte 2


Leia mais sobre o Projeto a Fonte e a Ponte e a Análise do Comportamento:
a Apresentação
o Início dos Resultados
Por que eu deveria aprender sobre a ciência do comportamento?
as Profundezas do Método

Quatro: Dr. Michael C. Davison, Parte 2

Foi uma emoção enviar o e-mail para o Professor Davison. No entanto e infelizmente, não foi possível receber qualquer resposta a tempo da presente postagem. Ainda, um e-mail alternativo do profissional foi encontrado, e foi enviado outro e-mail – novamente sem sucesso. Ambos os contatos que encontrei são e-mails institucionais, da universidade em que ele é professor emérito. Conforme mencionado anteriormente, o procedimento será o seguinte: caso o pesquisador responda, lançarei nova publicação com os resultados. Ainda, caso alguém tenha alguma ideia ou alguma forma de contato alternativo com o Professor Michael C. Davison (University of Auckland, Auckland, North Island/Nova Zelândia), ficarei agradecida.

De todo modo, a não obtenção de contato também é um resultado, e deixo aqui registrado: foram realizadas duas tentativas de contato para dois e-mails encontrados, sem retorno até o momento da presente postagem.

Profissional número quatro concluído! Na próxima postagem irei apresentar um prólogo sobre o trabalho da quinta pesquisadora do Projeto.


Leia mais sobre o Desafio Número 4:
A Ordem, os Números e a Ciência
Quatro: Dr. Michael C. Davison, Parte 1


Leia mais sobre o Projeto a Fonte e a Ponte e a Análise do Comportamento:
a Apresentação
o Início dos Resultados
Por que eu deveria aprender sobre a ciência do comportamento?
as Profundezas do Método